O que é startup?

startup-school-800x500

Cada dia mais escutamos falar em “startups”, inclusive aqui no blog falo muito a respeito já que profissionalmente venho atuando em startups há vários anos. Se você é empreendedor, ou investidor, com certeza já deve ter ouvido o termo startup e se perguntado o que de fato caracteriza uma startup.

Afinal, o que é startup?

Uma das definições que gosto é a do Steve Blank, empreendedor em série e professor em grandes universidades como Stanford, U.C. Berkeley e Columbia:

“Uma startup é uma organização temporária usada para buscar por um modelo de negócios repetível e escalável.”
Mas o que essa definição quer dizer de fato?

1) Startup é uma organização temporária

Startups são organizações temporárias porque elas são chamadas de startup apenas enquanto ainda estão em busca do seu modelo de negócios final. Quando atingem esse objetivo deixam de ser caracterizadas como startups e passam a ser um empreendimento grande / “real”.

2) Em busca de um modelo de negócios

Startups ainda estão em busca do seu modelo de negócios. Na prática isso significa que elas ainda estão fazendo muitos testes sobre quem são seus clientes, qual o seu produto e como vão rentabilizar esse conjunto.Essa característica é bem marcante em uma startup porque representa uma de suas principais atividades: os testes de conceito e de mercado que são feitos constantemente.Quando estamos dentro de uma startup um dos maiores investimentos que devem ser feitos é validar o público-alvo e o produto e isso vai sendo feito através da criação de protótipos ou MVPs (minimum viable products ou, em português, produto mínimo viável), lançando rapidamente no mercado e validando o interesse, remuneração, retenção e assim por diante.

Mas não é só isso: startups testam a todo momento os canais de marketing e comunicação mais adequados, a estrutura organizacional, a interação entre os profissionais envolvidos.

Trata-se de um processo intenso e constante de testes e aperfeiçoamento, buscando o modelo final que vai levar ao sucesso do negócio e muitas vezes é daí que vem o chamado “disruption” (rompimento) onde surgem novos produtos e modelos de negócio que antes não existiam.

Esse é um conceito chave na definição do que é startup pois outros negócios se baseiam em modelos de negócio já definidos e testados enquanto as startups estão em busca desse modelo e geram negócios inovadores por causa disso.

3) Repetível e escalável

Startups devem gerar grande impacto e, até por isso, seu conceito está muitas vezes associado ao de “empreendedorismo de alto impacto”. O modelo de negócios encontrado deve ser repetível e escalável. Ou seja, ele precisa poder ser replicável e precisa escalar, atingindo um volume interessante de geração de receitas e público. O mundo digital costuma ajudar na escalabilidade e por isso grande parte das startups estão ligadas ao mundo digital, à tecnologia, que permite que o modelo de negócios atinja uma grande escala a um custo reduzido.

Existem outras características que não devem ser ignoradas quando definimos o que de fato é uma startup.

Eric Ries, autor de “A startup enxuta” diz que:

“Uma startup é uma instituição humana desenhada para entregar um novo produto ou serviço em condições de extrema incerteza.”
A definição de Eric é importante porque demonstra que existe um cuidado em desenhar uma startup de modo que ela saiba lidar com incertezas na construção de produtos ou serviços. As características de um empreendedor por trás de uma startup acabam sendo diferentes daqueles empreendedores em outras categorias porque o conjunto de habilidades necessárias é simplesmente diferente quando você ainda não sabe qual o produto ou quem são os clientes ou como irá atingir monetização.

Já o famoso investidor Paul Graham afirma que:

“Uma startup é uma empresa desenhada para crescer rápido.”

É esperado que startups possuam crescimento explosivo. Enquanto ainda estão testando seus modelos elas estão constantemente ganhando usuários, fazendo alterações rapidamente que permitam com que elas alcancem ainda mais usuários e testem mais hipóteses. Tudo isso é feito rapidamente em um ritmo quase frenético.

Agora que você já sabe o que é uma startup, vale avaliar se empresas como Google ou Facebook ainda podem de fato ser consideradas startups. Elas foram de fato startups, mas possuem um modelo de negócios definido atualmente (baseado em receitas de publicidade). Isso não significa que ambas as empresas não continuem lançando novos produtos que por si sós constituem quase que novas startups dentro da organização, atuando como uma células a parte, em busca de seus próprios modelos de negócio. Mas essas organizações como um todo já passaram pelas fases de validação de produto/serviço, encontro de um modelo de negócios escalável e repetível e monetização. E então, você as considera startups?

 

Escrito por: Tahiana D’Egmont

Fonte: degmont.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *